Vale a pena jogar de novo:MICKEY MANIA!!!

Oii genteeee,olha eu aqui !!!!!

E hoje no vale a pena jogar de novo,vou falar de um dos jogos mais legais de todos os tempos,e que tb é do meu personagem preferido………….é o……..

MICKEY MANIA!!!!!!!!!!!!!!

Quem nunca jogou esse jogo não teve infância,tá???kkkkkkk

Ele saiu para Super Nintendo e para Sega Genêsis,mas como eu só joguei o do SN,é dele que eu vou falar hoje.

Mickey Mania é um jogo que presta uma singela homenagem aos filmes de Mickey.

Foi lançado perto dos 65 anos de vida do Mickey! Servindo então, de comemoração a longa vida do Ratinho!

No game,você controla Mickey e passa por 6 fases,cada uma baseada em um filme da mesma época.Vamos agora a cada uma delas:

1-STEAMBOAT WILLIE (1928)

Use a rolha da garrafa pra tapar a boca desse bode ''''cantor'''!!!

Ô ooo!!!

Baseado no primeiro longa do ratinho,a fase começa preto e brando e no final já está colorido,e tb temos a primeira aparição do ”’BAFO”’.Fase fácil e bem legal!!!

2-THE MAD DOCTOR (1933)

Aranha do capeta!!!

Matei!!!!kkkkkk

Já na segunda fase do jogo, você sofrerá um pouco mais,

Afinal, como se esquecer daquele trecho filá da puta em que você tem que subir num elevador magro e desviar das ossadas que as caveiras te jogam!(Eitaaaa!!!)

E no  final você tem que enfrentar o doutor maluco e salvar seu amigo Pluto,e tb tem que desviar daquelas MALDITAS garrafas explosivas que o médico doidão jogar pra cima cada vez que vc pula nele!!!

3-MOSSE HUNTERS (1937)

Correeeeee....

Aqui Mickey terá que escapar dos chifres assassinos de um Alce!!!

Pode se dizer que essa fase se divide em duas partes, a primeira numa tela lateral em que Mickey pula pedras e pula o Alce,

e a segunda, Mickey foge de Alce verticalmente! Onde deverá colher maças, pra “acelerar” sua velocidade!!!!!

E tome cuidado,já que cada vez que o Mickey tropeça o Alce chega cada vez mais perto!!!(Eu,hein???)

Ahhhhh,quase me esqueci,nessa fase na primeira parte o Pluto te ajuda a não ser atingido pelo Alce maluco,ou seja quando o pluto pára  e fica durinho igual uma pedra,é bom vc pular pois o bicho tá vindo!!!!

4-LONESOME GHOSTS (1937)

Fase chatinha em que o Mickey tem que escapar de uma horda de fantasmas mais chatos ainda!

Sorte que acaba rápido!!!

5-MICKEY AND THE BEANSTALK (1947)

Essa é minha fase favorita,cheia de bichinhos e florzinhas,muito fófis!!!kkk

Mas que no final vc tem que escapar de uma aranha MEGAPUTAQUEPARÍVELMENTE  grande e assassina de Mickeys,e para isso vc usa uma joaninha que parece ter saído do filme velozes e furiosos,hihihihihi!!!(ô bicho que corre!!!)

6-THE PRÍNCIPE E THE PAUPER (1990)

A ultima fase do jogo é com certeza a mais difícil!

É a que inclui a pior massa de inimigos, e pior telas pra passar

Cheia de tiros de flechas (é um saco)!!!

Pete (Bafo) aparece no confronto final!!!

Vencendo-o você dará enfim o final do jogo!!!

RÁ!!!!

Durante as fases, Mickey conta com um acervo de bolinhas para se defender dos inimigos pilantras!!

As fases trazem também marcadores de fases para facilitar sua vida…sem contar que as músicas são bem bonitinhas,a única coisa que irrita um pouco são as telas de loading em que o Mickey aparece com um relóginho que insiste em não funcionar!!!

Enfim,com certeza vale a pena jogar de novo sim!!!!

Vou deixar vcs com esse vídeo mostrando um pouquinho da primeira fase!!

Espero que tenham gostado!!!!

Bjs…..

Pirralhos não podem brincar com arma! ai ai ai….

Um pirralho que tem titica na cabeça, decidiu brincar com arma do pai, por muito pouco não acontece um desastre…. o idiota simula algo parecido com os games velhos de guerra como the house of dead, resident evil  dead ain…. entre outros titulos, o que acontece e o seguinte: e evidente que esse pirralho gosta de games, se acontecesse algum acidente, mais uma vez estariamos presenciando um episodios de “BAIXA AOS VIDEOS GAMES” , provavelmente os pais desse garoto iriam se revoltar e passar toda a culpa para os video games, o que ja não é surpresa, mas…. que bom que não aconteceu nada, pura sorte do imbecil, ja se dizia minha avó: cuidado com o que brinca” !!

curtam a cara do pirralho apos a arma dar o disparo “real” !!!! Tinham que apresentar ao imbecil um master com uma pistola, pra ele procurar se alcamar.. rsrsrs

Por tanto crianças, ja sabem quando quiserem fazer tais brincadeiras, peça aos seus pais, para compra um master system com pistolinha, ou um sega saturn, ou snes com a bazuka…. sei la!!! mas não peguem a desert eagle do papai não! ta bom!!!

Bejunda a todos!!!

O que deveria rolar na E3 2009?

2 de junho, essa é a data que está circulada no calendário de todo jogador que se presa, já que marca a abertura da maior feira de videogames do mundo a Electronic Entertainment Expo 2009 (E3).

Com a aproximação da data, várias empresas confirmam a presença — e ausências, como no caso da Rockstar — e revelam o conteúdo de seus estandes dentro da convenção (não deixe de conferir a lista de “presença” da E3). Grandes títulos já estão garantidos, enquanto outros ainda permanecem envoltos em mistério (… alguém disse Kojima!).

De qualquer forma, o LoG ficará ligado em tudo que acontece no Centro de Convenções de Los Angeles entre os dias 2 e 4 de junho, trazendo todas as informações do evento.

Saiba o que vai rolar na E3

Entre confirmações e ausências marcantes, o que fica é a expectativa dos fãs que cresce a cada dia. Para aguçar ainda mais a imaginação dos jogadores do site baixaki jogos resolveram  propor um “exercício de imaginação” sugerindo alguns conteúdos para as conferências mais importantes da feira (Microsoft, Sony e Nintendo).

O mundo é Azul, mas o paraiso é Verde!
Mostrando a cara
As cartas na manga da Microsoft


Uma das grandes reclamações dos “caixistas” é a falta de grandes anúncios por parte da Microsoft. Enquanto o PlayStation larga na frente com algumas exclusividades de peso como Uncharted 2, inFamous e Heavy Rain o Xbox 360 teve que se contentar com apenas alguns “aperitivos” da expansão de Halo 3.

É verdade que até o presente momento o console conta com mais lançamentos exclusivos do que o grande concorrente. Entretanto a maioria deles são jogos que não conseguiram chamar a mesma atenção do que os anúncios realizados pela Sony.

Exclusividades como Velvet Assassin, Ninja Blade, RacePro, Grand Theft Auto IV: Lost & Damned e Star Ocean: The Last Hope foram ótimas adições à biblioteca de títulos do console, entretanto não fizeram tanto alarde quanto a revelação de jogos como Uncharted 2 e Heavy Rain por exemplo.

Mas quem sabe a Microsoft pode estar apenas esperando a E3 para revelar as suas cartas na manga. O misterioso projeto do grande Kojima pode muito bem ser uma produção para a Microsoft. Imagine o estrondo que um anúncio de Metal Gear para o Xbox 360 não faria no mundo dos jogos.

Além disso, a Microsoft ainda pode revelar novidades quentes sobre novos serviços e/ou acessórios. A câmera com sensor de movimento, o fim da cobrança pela Xbox LIVE, ou quem sabe ainda novos títulos ou quebras de exclusividades da Sony e Nintendo (como a dos jogos mais antigos da Rare).

O mundo é AZUL
Presenças marcantes
Sony apresenta seus grandes trunfos


Mesmo sem grandes lançamentos exclusivos (salvo o excelente Killzone 2), a Sony conseguiu se destacar somente com os anúncios de seus futuros títulos. Anúncios incríveis como o lançamento de Uncharted 2, inFamous, Heavy Rain, Beyond Good & Evil 2 e muitos outros conseguiram colocar a empresa em destaque.

Agora a E3 se aproxima, se antes da feira começar a casa do PlayStation já fez barulho no mundo dos videogames imagine o que não vem pela frente. Com tanta coisa já revelada o que falta mesmo são algumas apresentações de peso.

Certamente algo que não poderia faltar na conferência da Sony seriam algumas versões jogáveis de seus títulos mais esperados. Quem sabe uma DEMO do tão esperado God of War 3, do maior MMO para consoles, o MAG ou ainda do simulador automobilístico Gran Turismo 5

Além disso, a Sony também poderia revelar a quebra de exclusividade da franquia Mass Effect (cuja continuação certamente aparecerá na conferência da Microsoft) e dos conteúdos extra para o jogo Grand Theft Auto. E não podemos nos esquecer da nova tecnologia tridimensional estereocópica que também pode dar as caras na conferência da Sony.

É Nintendo ou nada!
Ídolos do passado
Kid Ikarus, Capitão Olimar e um bigodudo italiano

Gostem ou não a Nintendo é líder do mercado. A tradicional empresa japonesa vende mais consoles do que todos os seus concorrentes, mesmo sem fazer muito alarde. Mas o que a sua conferência na E3 poderia trazer de novidades quentes?

Tratando-se da “Big N” dois nomes imediatamente vêm à mente: Mario e Zelda. Imaginem que o aparente marasmo da Nintendo fosse quebrado com o anúncio de um novo título da sempre popular franquia Mario, ou quem sabe uma nova aventura de Link.

Infelizmente isso não aprece ser muito provável, entretanto algo que pode acontecer é o retorno do clássico Kid Icarus, ou quem sabe do Capitão Olimar e seus Pikmins. E com uma biblioteca de títulos tão vasta e exuberante quanto à da Nintendo opções do passado é o que não faltam. Portanto a volta de títulos que fizeram sucesso no passado não pode ser desconsiderada.

Além disso, por se tratar da empresa responsável pelo Nintendo Wii e DS, também não podemos desconsiderar a apresentação de novos periféricos, acessórios e melhorias de hardware para seus consoles.

Uma data. Um lugar. Um evento.

Analista anuncia o retorno de Altaïr e outras promessas.

O analista financeiro Michael Pachter (da empresa Wedbush Morgan Securities) endereçou uma nota bastante quente para os investidores de jogos. O documento contém o que Pachter acredita ser a expectativa dos principais lançamentos de games da Ubisoft para próximo ano fiscal da empresa, de 1º de abril de 2009 a 31 de março de 2010.

Será que ALtaïr realmente retornará? Uma das maiores bombas é o lançamento de Assassin’s Creed 2, título que até agora não foi confirmado oficialmente pela companhia. Mas, segundo Pachter, o gamer poderá aparecer ao lado do novo Splinter Cell (de acordo com o analista,splinter cell convivtion) e do novo avatar

Pachter expera um sólido crescimento financeiro para os próximos meses no mundo dos videogames. A Ubisoft está sendo fundamental para esse crescimento constante que ocorre no mercado, levando em consideração que vários produtos estão vendendo muito bem no Nintendo Wii e no Nintendo DS.

Ao que tudo indica, a Ubisoft está retendo ao máximo o planejamento do próximo ano fiscal. Apenas alguns grandes títulos como tom clancy H.A.W.K, call of juarez bound and blood e i am alive foram confirmados até o momento.

E por falar em Mega drive…….

Por Vinas Castello

Na semana passada um pouco depois do episodio citado abaixo, estava eu andando pelas ruas de copacabana, e derrepente escuto um grito! _ohhh socorro me ajudem!!!!!!!!! derrepente fui chegando mais perto e la se encontrava, num estado deplorável, um super nintendo com uma fita gritando por socorro, em uma lata de lixo! pois e no lixo! Atenção EGM, ROX e outras companheiras, que pais são esses que jogam seus filhos nas latas de lixo da cidade! pois bem; com muita pena estava la eu, mexendo naquele lixo IMUNDO, e socorrendo o pobre snes. as pessoas ficavam me olhando como se eu fosse um mendigo arrumado. mas sim a principio achei que o game estava ruim pelo fato de jogarem ele no lixo, mas procurei logo uns camaradas, que ainda vendem fontes, controles, cabos para plataformas antigas. e testei la. o bichinho tava funcionando perfeitinho. para a minha alegria. eu ja levei os cabos, fonte, controles e claro um super street fighter, para brincar um pouco com meus companheiros.  ao chegar em casa, dei uma limpeza geral nele(que precisava urgente) e coloquei-o para funfar!

Cerca de uma semana depois, conheci um camarada, que tambem se amarra em games. e ele me disse que tinha uns video games velhos. e que a mulher dele ja tinha avizado para ele que ia jogar tudo fora! ai o que acontece??? entra em ação o Super Vinas; Que isso cara, não faça isso com ele não! eu o adoto!, disse eu brincando com o moço! ele riu um pouco e disse que ia me arrumar os games! depois ele me telefonou dizendo que so tinha achado um mega drive. e perguntou se  me interessava! Mas logico que fui pegar, de graça até injeção na testa! rsrsrsrsrsr.  então em pouco mais de uma semana, estava la eu com os dois games que travaram uma batalha incrivel na decada de 90! que proporcionou muita diversão para todos nós.

Mega drive ainda vende??

Por Vinas Castello

E com quase o preço de um playstation2, esses dias estava eu andando pela cidade do rio de janeiro, e passei destraído próximo a uma vitrine, confesso que eu estava destraído conversando com um amigo no celular; mas derrepente foi como um choque. eu olhei para a tal vitrine e vi! um mega drive 3, em uma caixa branca. deve ter um zilhão de jogos na memoria,pensei eu! mas não satisfeito fui ate o vendedor mais proximo e perguntei: -Irmão quanto esta custanto esse game?(me fiz de leigo, como se eu nao conhecesse do assunto…), e porque eu tenho que dar de presente para o meu sobrinho. o ilustre vendedor me respondeu: ele ta saindo a 299,00! sem juros no cartão, em ate 12 vezes. Eu agradeci, e ja ia me retirando! ai ele me chamou, e ainda teve a audácia de dizer que era um excelente video game! de ultima geração!  eu não aguentei e kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

quase deitei no chão de tanto rir!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

fui embora, pensando… naquele episodio em minha humilde vida de gamer! decidi registrar esse mesmo com uma foto! e que valeu a diversão de ver a esperança na cara daquele vendedor. como se eu fosse levar aquele megadrive.   ai vai a foto, para a galera rir um pouco!

Gerações e gerações….

PRIMEIRA GERAÇÃO — Visionários e entusiastas acadêmicos

Um belo dia, o engenheiro Ralph Baer imaginou se não haveria algo mais interessante do que simplesmente sentar em frente a uma TV para ficar trocando canais. Baer concebeu então a idéia de um jogo que seria conectado à TV; a idéia foi apresentada a um amigo que também era engenheiro. Surgia o lendário Pong.

Toda revolução tem um inicio...A idéia de Baer atraiu as atenções da Magnavox, que resolve então comprar o projeto do engenheiro para então começar a desenvolver o não menos lendário Odyssey, o primeiro videogame para se conectar à TV, lançado oficialmente em 1972.

Mesmo tendo à disposição inicialmente apenas dois jogos (Tennis e Hockey) e tendo um placar que devia ser atualizado manualmente sobre o console (não existia uma contagem interna de pontos), o Odyssey começa a atrair a atenção das grandes empresas, mesmo que estas tenham, talvez, subestimado um pouco o enorme potencial que tinham em mãos.

Nessa época, o controverso Nolan Bushnell, embalado pela experiência acadêmica de Spacewar! (um jogo desenvolvido para um daqueles computadores caríssimos que ocupavam uma mesa inteira), cria o primeiro arcade do mundo, o Computer Space, que era, na realidade, uma máquina desenvolvida unicamente para rodar o jogo Spacewar! Nolan ainda foi acusado nessa época de plagiar o Odyssey.

SEGUNDA GERAÇÃO — O Sr. Bushnell consolida o seu império

Em agosto de 1976 a Fairchild Semiconductor lançava o seu Fairchild VES, o primeiro console a trazer uma CPU. Sentindo-se novamente “inspirado”, Nolan Bushnell e a sua Atari lançam o Atari  VCS, mais conhecido como Atari 2600. O console sobrepuja rapidamente as vendas do VES, trazendo cartuchos com impressionantes 2kb de tamanho. O console vendeu mais de 40 milhões de unidades ao longo da sua história.

O aparelho que tornaria Bushnell Nolan uma celebridade.

Em 1979 um grupo de dissidentes da Atari formaria ainda a Activision, que foi a primeira produtora independente de jogos, fato que abriu caminho para uma infinidade de experiências semelhantes.

A segunda geração de videogames ainda veria o surgimento do primeiro console portátil, lançado pela Mattel em 1976, o que trazia ainda consigo uma considerável ameaça ao até então inabalável império da Atari. A Mattel lançaria ainda em 1980 o seu Intellivision com jogos de até 4kb de tamanho. O constante aumento de capacidade dos cartuchos e também o declínio da indústria de games marcaria então o fim da segunda geração.

TERCEIRA GERAÇÃO — It´s me, Mario!

O saudoso Nintendinho.Após a crise de 1982, a indústria de games começa a qualificar os consoles pelo seu poder de processamento. A terceira geração é marcada então pelo domínio absoluto dos consoles de 8 bits, uma revolução que teria início em 1983 com o lançamento do japonês do console Famicom, da Nintendo. Ao imigrar para os EUA, o console assumiria então o nome Nintendo Entertainment System, o nosso tão amado “Nintendinho”.

Surgiria então um bombeiro rechonchudo que traria consigo uma verdadeira revisão da forma como se jogava. Super Mario Bros. foi lançado para o NES em 1985, sendo um dos primeiros jogos a trazer uma progressão lateral além de acrescentar várias estruturas que seriam repetidas inúmeras vezes na indústria de games.

A gigante japonesa SEGA surgiria então em 1986 com o seu Master System (console que é vendido até hoje no Brasil). Mesmo sofrendo com os contratos de exclusividade mantidos pela Nintendo junto aos desenvolvedores de jogos, o console conseguiu abocanhar uma fatia bastante considerável do mercado, embora jamais tenha saído da segunda posição.

QUARTA GERAÇÃO — A Guerra dos Consoles

É verdade que o PC Engine, também conhecido como TurboGrafx, marcaria oficialmente o fim da terceira geração de videogames. O console foi o primeiro a trazer um chip gráfico de 16 bits, podendo exibir até 482 cores simultaneamente oferecendo ainda uma unidade de CD opcional.

Uma época de ouro para a SEGA.Entretanto, a quarta geração, a era dos 16 bits, foi mesmo marcada pela ferrenha batalha entre os consoles da SEGA e da Nintendo, respectivamente , o Mega Drive (Genesis no Japão) e o Super Nintendo (Super Famicon). Foi durante a quarta geração que começara a se consolidar franquias, que traziam jogos baseados na mesma história — notadamente, jogos como os da série Final Fantasy e Mortal Kombat.

Em 1989 surgiria ainda outro campeão absoluto da Nintendo, o Game Boy, sendo o primeiro videogame portátil a alcançar um sucesso global. Já no final da quarta geração, a Atari decide então parar definitivamente a produção do seu colossal 2600. Mesmo os poderosos protagonistas da “Guerra dos Consoles” já não podiam subsistir diante da avalanche de novas tecnologias que despontavam na altamente revigorada indústria do entretenimento eletrônico.

QUINTA GERAÇÃO — A Sony resolve entrar no jogo

Lá pelos idos de 1993 os computadores assumiam uma qualidade gráfica sem precedentes, passando a ostentar belos gráficos em 3D para rivalizar diretamente com os consoles. Para a nova era que surgia, tanto a SEGA quanto a Nintendo já tinham as suas cartas na manga preparadas, esta com o seu Nintendo 64 e aquela com o seu efêmero Saturn.

Todavia, o que pouca gente esperava aconteceu. A gigante Sony resolveu então tentar também a sorte no já extremamente competitivo mercado de consoles. É trazido então ao público o primeiro PlayStation, que utilizava o nome de um antigo apetrecho desenvolvido ainda na época do Super Famicon (que permitia ao console ler CDs).

A gigante Sony surpreende agradavelmente uns... e desagradavelmente outros.

Mesmo a Atari resolveu fazer uma tentativa na geração 32/64 bits com o seu Jaguar. Porém, os discos ópticos e, principalmente, o novo console da Sony invadiram de tal forma o mercado, que nem mesmo o antigo colosso da indústria conseguiu subsistir. Tratava-se de uma era totalmente carimbada pelo PlayStation, que trazia consigo também a primeira legião de “sonystas” devotos.

SEXTA GERAÇÃO — A SEGA tira o time de campo. Outra gigante entra em cena

pouca gente entende o porquê de não ter dado certo.1998 não apenas inauguraria a sexta geração de consoles, como também traria ao público o que, segundo alguns, seria um dos melhores consoles já produzidos. Projetado para bater de frente com o PlayStation e o Nintendo 64, o Dreamcast trazia diversas novidades, como o VMU (Visual Memory Unit) e a possibilidade de se jogar vários jogos online. Como um cartão de visitas, o aparelho ainda podia exibir o belo e renovado Sonic de Sonic Adventure, que acabaria mesmo sendo o seu título mais vendido.

Por que as coisas acabaram não dando muito certo para o Dreamcast? Bem, muito dizem que o console acabou não conseguindo conquistar suficientemente o mercado antes do aparecimento da próxima pancada da Sony.

A chegada do PlayStation 2 não apenas enterrou o Dreamcast (para desalento de muito que haviam gastado suas economias) como também fez com que a SEGA largasse definitivamente a produção de videogames, focando a sua produção apenas na produção de jogos para várias plataformas — quem, de outra forma, teria imaginado ver Sonic correndo através das plataformas da Nintendo?

Entretanto, embora o PlayStation 2 tenha realmente garantido um sucesso à altura do seu antecessor, com um aumento significativo de qualidade gráfica e franquias exclusivas do nível de um God of War, não se pode esquecer que a sexta geração foi marcada também pela primeira incursão de outra gigante no universo dos games.

Bill Gates faria em 2000 durante a Game Developers Conference o anúncio oficial: a Microsoft também entraria no jogo. O primeiro Xbox, lançado em 2001 nos EUA esgotaria-se rapidamente. O console chegou até mesmo à Terra do Sol Nascente, lar de Sony, SEGA e Nintendo, embora por lá as coisas não tenham saído assim tão bem.

Esse controle realmente foi mal pensado.

Entretanto, o Xbox mostrava que a Microsoft havia entrado definitivamente na briga. O lançamento do console foi até mesmo acompanhado por alguns ótimos jogos que viriam a se tornar mais tarde franquias prodigiosas para o console, como a série Halo. Nem mesmo a primeira versão desajeitada do controle haveria de minimizar o sucesso daquele que acabou sendo o console mais rápido da sexta geração.

A sexta geração ainda traria também a próxima empreitada da Nintendo, que apareceria com o seu GameCube. Não obstante, mesmo trazendo uma ótima qualidade gráfica, personagens icônicos como Mario e Zelda e a possibilidade de funcionar conjuntamente com outro fruto recente da Nintendo, o Game Boy Advance, o console acabou apenas amargando o terceiro lugar.

SÉTIMA GERAÇÃO — Qualidade ou versatilidade?

Bem, pelo menos em questão de vendas, a respostas do mercado até o momento tem sido unânime: versatilidade. A atual geração, que teve início com dois portáteis, o DS e o PSP (lançados em 2004 e 2005, respectivamente), tem visto durante os últimos tempos algo um tanto… inusitado.

É verdade que a batalha “Sony x Microsoft” continua mais quente do que nunca, com os devastadores PlayStation 3 e Xbox 360. Entretanto, no meio dessa batalha toda, a Nintendo parece ter achado um atalho interessante e extremamente funcional: o público casual.

menos qualidade, mais versatilidade e inovação.O Nintendo Wii não tem a mesma qualidade gráfica dos seus dois concorrentes? É verdade. Os jogos mais adultos parecem marcar pouca presença? Sem dúvida. Entretanto, quem esperaria poder um dia jogar tênis realmente dando raquetadas? Ou, ainda, fazer ginástica e praticar yoga utilizando um videogame? Pois é.

É claro que boa parte do público mais “hardcore” dos games ainda prefere gastar as suas economias com a Sony ou com a Microsoft, tendo em vista a vasta biblioteca que inclui clássicos renovados e novidades de tirar o fôlego (GTA IV, por exemplo).

Enfim, onde isso tudo vai realmente parar? O que se pode esperar para aquela que será a oitava geração de consoles? Mais saudosismo? Mais qualidade? Ou, quem sabe, mais diversidade? Senhores, façam suas apostas.

%d blogueiros gostam disto: